Blogue da turma B, do quarto ano, da Escola Básica de Santa Luzia, em Guimarães
Domingo, 31 de Outubro de 2010

Neste domingo damos os PARABÉNS à Fátima . PARABÉNS MORANGUITO E UM BEIJINHO DOS COLEGAS E DA PROFESSORA

.

 

publicado por Paula às 21:59

Sexta-feira, 29 de Outubro de 2010

A história da Lenda das Sete Cidades está quase a chegar ao fim.

Já sabemos que os Açores resultaram do terramoto que fez afundar a Antártida. Com o terramoto, apenas ficaram visíveis os cumes das montanhas da Antártida, que são as nove ilhas do arquipélago.

Numa dessas ilhas, S. Miguel, existe um reino chamado das Sete Cidades. Um reino em que todos são felizes e onde existe uma princesa que gosta de passar o seu tempo a passear e a fazer colares de flores.

Num dos passeios ouve um som melodioso que vinha da viola de um pastor, que tocava para se entreter e entreter o rebanho.

Ambos se apaixonam. Mas, um dia, chega de longe um príncipe para pedir a mão da princesa em casamento.

Antes de saberem o fim, os Moranguitos escreveram o seu final para a história.

Seleccionamos os textos da Sofia e da Maria.

 

  
 
"Quando o príncipe pediu a mão da princesa em casamento ela disse que não e contou ao pai que tinha encontrado um pastor e se tinha apaixonado por ele.
Então, o pai percebeu que a menina não gostava do príncipe e disse-lhe:
- Minha filha, então de quem gostas?
- Gosto de um pastor.
- Um pastor?
- Sim.
Então, descobriu e deu autorização para que a princesa casasse co o pastor, enquanto o príncipe casava com a aia.
Parte da lagoa é verde, porque era a cor que o pastor e a princesa gostavam. A outra éazul, porque o príncipe e a aia viviam rodeados de mar." (Sofia)
 
 
"Quando o príncipe pediu a princesa em casamento, a princesa que não estava nada à espera, saiu da sala a correr, trancou-se no quarto e ficou horas a chorar.
Muito triste, saiu do castelo e foi a correr encontrar-se com o pastor. Disse-lhe que tinham que fugir para muito longe porque apareceu um príncipe a pedi-la em casamento.
O pastor disse que não queria que a princesa casasse com o príncipe, mas também não queria fugir e deixar tudo para trás. Por isso, ela tinha que contar ao pai que estava apaixonada por um pastor.
A princesa ficou triste porque não sabia como o fazer. Pensou, pensou e ganhou coragem. Foi para o palácio e contou ao pai, o rei e ao príncipe.
O pai não quis acreditar e disse-lhe que uma princesa casa sempre com um príncipe e que era ridículo o que ela sentia.
Ela ficou magoada com o pai e decidiu fugir. Casou-se com o pastor e ficaram os dois na casa dele. Ela sempre teve a esperança que o pai mudasse de ideias.
Por isso, acho que a lagoa é metade verde, metade azul, exactamente porque o verde representa os campos do pastor e o azul, representa o palácio." (Maria)
 
publicado por Paula às 23:59


Com a experiência de hoje conseguimos provocar uma explosão de gás.

Começámos por usar uma garrafa de refrigerante com gás e uma drageia bem doce.

 

 

Pegámos na drageia e metemos na garrafa.
Poucos instantes depois, saiu um jorro de gás, que deixou o conteúdo da garrafa a meio, o que prova que grande parte dos refrigerantes é gás.
Conclusão

O açúcar da drageia funciona como libertador do gás, provocando um enorme repuxo.

publicado por Paula às 23:51


A Fátima Ben e a família escreveram o último texto sobre os frutos de Outono.

Ficou assim:

 

Oh que lindas vermelhas romãs
São tão saborosas quanto as maçãs
 
Fruta boa temos que comer
Rica em vitaminas, ajuda a crescer
Uva, marmelo, castanha e pera a vender
Tâmaras doces vou provar
Ou com nozes vou rechear
São muito boas para engordar.
publicado por Paula às 23:44


O Mário trouxe a história do dia.

Da colecção Rua Sésamo, conta como o Becas anda à procura de caricas e, quando alguém lhe pergunta quantas tem, responde que tem perto de cem.

Os amigos ajudam-no na sua tarefa, mas ele responde sempre que tem cerca de 100 caricas.

Até que conta ao seu amigo Egas que diz que tem 100 porque não sabe contar além desse número. Pede-lhe segredo, mas o Egas não consegue guardá-lo e acaba por contar a toda a gente.

Envergonhado, Becas esconde-se no lava-loiças, mas os amigos vão ter com ele dizendo-lhe que não é vergonha não saber contar.

É então que alguém o ensina e nessa noite Becas adormece a fazer contagens.

 

publicado por Paula às 23:34

Quinta-feira, 28 de Outubro de 2010

O nosso painel do Outono está finalmente pronto.

O tema escolhido foi "Frutos de Outono", optando pelas maçãs. Aqui está o produto final.

 

publicado por Paula às 23:01


A composição da ficha de avaliação de Língua Portuguesa pedia que se contasse as peripécias das viagens de migração de algumas aves.

Depois das individuais, estivemos, em grupo, a fazer a sua melhoria.

O resultado foi este.

 

 

" Se eu fosse uma ave migratória seria uma andorinha e gostaria de sol e calor.

Por isso, no Outono, viajo à procura de terras quentes, como o Brasil, onde é Primavera.

Pelo caminho, sobrevoei os arquipélagos da Madeira e dos Açores, onde tudo é verde e florido, mas frio. Por isso, continuei a viagem, juntamente com o meu bando.

Depois vinha só mar, muito mar, o Oceano Atlântico.

A viagem foi longa e com muitos perigos: tempestades, trovões, vhuva, vento...

Além disso, passámos muita fome.

Mas...finalmente uma de nós avistou terra.

Havia muito sol, calor, muita comida...plantas, fruta. Enfim, era um paraíso.

Logo que chegámos fizemos um banquete e fomos descansar.

Seriam umas belas férias até que chegasse o Outono e tivessemos que regressar.

É esta a vida de uma andorinha."

publicado por Paula às 22:52


Já todos os alunos escreveram textos no nosso livro da Poesia em Família.

Por isso, a turma decidiu que para enriquecer o produto final continuaríamos a circulação do caderno.

Coube, então, à Beatriz  e família escrever este texto sobre os frutos de Outono.

 

"Todos os frutos vou comer

Para saudável crescer

 

Tangerinas bem docinhas

Para mim e para as minhas amiguinhas

 

Doa marmelos vou fazer

Boa marmelada para comer

 

Docinho de abóbora que delícia!

Fez a minhja tia Patrícia

 

Maçã vermelhinha

É muito docinha

 

Umas castanhas eu vou assar

Para a chegada do Outono festejar"

 

publicado por Paula às 16:27


A história do dia de hoje foi contada pela Maria João.

Chama-se "Não gosto de lavar os dentes" e conta como a Madalena arranjava uma desculpa sempre que a mãe a mandava lavar os dentes: ou porque gastava os dentes, ou porque tinha sono, ou porque a água era fria...

Até que a mãe lhe explicou que se não lavasse os dentes pelo menos duas vezes por dia, os restos de comida acumulavam-se entre eles, promovendo o desenvolvimento de bactérias responsáveis pelas cáries.

E atrás de uma cárie vem sempre uma valente dor de dentes.

Por isso, mais vale prevenir...

 

publicado por Paula às 16:19

Quarta-feira, 27 de Outubro de 2010

Coube à Jessica e á família escrever hoje a poesia em família.

O tema continua a ser Frutos de Outono.

 

"Lá fora o vento sopra
Já se sente cheirinho a Outono
A mãe faz doce de abóbora
E o pai dorme um sono
 
Tantas uvas na fruteira
E também os dióspiros
Está-se bem na lareira
O mano já está com espirros
 
As nozes tão boas que são
O Natal fazem lembrar
Vamos acender o carvão
Para as castanhas assar."
publicado por Paula às 22:05


Moranguitos
visitas
counter
Visitantes

Contador Grátis
pesquisar
 
Últ. comentários
aleleuia
Quero saber a introdução da experiência
Gostaria de pedir autorização para usar a vossa im...
podiam colocar mais algumas assim não dá para tira...
gosto de ler historias para meus alunos mas sempre...
lol
QUE LINDO
Como fizeram o livro????Já está há venda em públic...
Olá Moraguinhos, adorei os vossos porvérvios, me a...
muito obrigada nao copiei todos mas ainda coipiei ...
mais comentados
10 comentários
8 comentários
8 comentários
7 comentários
6 comentários
6 comentários
6 comentários
6 comentários
subscrever feeds