Blogue da turma B, do quarto ano, da Escola Básica de Santa Luzia, em Guimarães
Segunda-feira, 28 de Fevereiro de 2011

A história do nosso concelho tem sido tema de trabalho na nossa Área- projecto. 

Bem a propósito deste tema, surgiu a obra "Penha, encanto e poesia", da escritora Ana Vieira Brito que abordámos a semana passada.

Hoje estivemos a ouvi-la falar das vivências que levaram a escrever sobre este tema. Com ela veio Roriz Mendes, juiz da Irmandade da Penha, que nos contou algumas histórias sobre aquele espaço mítico.

Além das que já conhecíamos, ficámos a saber que a Penha foi, durante muito tempo, a mãe-d'água do concelho de Guimarães. Era de lá que vinha da água que abastecia a cidade e algumas freguesias.

Também recordámos que aquele espaço se chama Penha, por ter muitas rochas, algumas delas carregadas de simbolismo.

Foi e é, ainda, o pulmão da cidade. O espaço verde que renova o ar que respirámos.

No ar, ficou a vontade de lá voltarmos, com uma visita guiada para tentar conhecer alguns dos seus segredos.

 

publicado por Paula às 22:59


Começamos hoje um novo tema na Poesia em Família. Como estamos muito perto, decidimos escrever sobre Carnaval.

Foi a Joana a primeira.

 

 

 

Cowboy com a pistola no ar

Alegria a voar

Risos das crianças de encantar

Não há nada que enganar

Aproxima-se o carnaval

Vamos todos participar

A harmonia é para ficar

Lindo dia de festa para celebrar.

 

publicado por Paula às 11:47


A Maria trouxe hoje mais uma história carregada de moral.

Chama-se "Tomás no Reino dos Brinquedos".

Fala-nos de um menino que se queria ver livres dos seus brinquedos, achando que estavam velhos e deveriam ser renovados.

Deita-se a pensar nisto e, quando adormece, os seus brinquedos, discutem este assunto, achando que o Tomás já não gosta deles.

Decidem entao ir-se embora. Quando saem, um deles atira uma bola à cabeça do menino que acorda e verifica que os brinquedos desapareceram.

Segue três peças de construções que deixaram ficar para trás. A cada peça que pega, fica mais pequeno. Sente-se, então, entrar no mundo dos brinquedos, onde vão parar todos os brinquedos que as crianças deitam fora.

De repente, os brinquedos maus, chefiados por um robot começam a persegui-lo e fazem dele um prisioneiro, obrigando-o a consertar os brinquedos estragados.

É então que chegam os seus brinquedos para o salvar. Tomás arrepende-se de os ter dispensado e todos juntos tentam fugir daquele lugar.

Mas, ao tentar fugir, Tomás tropeça numa bola e cai, caindo em cima dele todos os brinquedos.

Nesse momento, chega um leão. Era ele quem governava aquele reino e disse que ninguém sairia dali sem a sua autorização.

Quando o Tomás lhe disse que aqueles brinquedos eram seus e que os ia levar para casa, o leão oferece-lhe uma caixa de brinquedos novos em troca dos seus velhos.

Tomás ainda hesita, mas sente pena deles e diz ao leão que perfere os seus velhos brinquedos.

Regressam a casa todos juntos, com o Tomás a prometer cuidar bem dos brinquedos.

No dia seguinte, o menino acorda e fica feliz por ver que todos os brinquedos ainda ali estavam. Pensou ter sido um sonho mas, quando olhou para as mãos, reparou que tinha os dedos sujos de tinta. A tinta que tinha usado para pintar um carro estragado.

Afinal, não tinha sido um sonho...

 

 

 

 

publicado por Paula às 11:34

Sexta-feira, 25 de Fevereiro de 2011

A Porto Editora lançou às escolas um convite para mascararem a sua mascote, o Alfa, agora que se aproxima o Carnaval.

Como gostamos de aceitar desafios, decidimos participar.

Claro, tínhamos que mascarar o Alfa de Morango.

 

 

 

Agora estamos dependentes das votações.

 

COMO VOTAR:

 

ACEDER À PÁGINA www.facebook.com/gostodoalfa  . Ao lado da palavra ALFA, CLICAR EM GOSTO. SELECCIONAR AS FOTOS E PROCURAR A DOS MORANGUITOS. AÍ DEVEM CLICAR DE NOVO EM GOSTO.

 

VOTEM E DIVULGUEM JUNTO DOS VOSSOS AMIGOS. ATÉ 8 DE MARÇO.

 

publicado por Paula às 23:00


Ontem conhecemos as história ligadas à Penha.

Hoje, falámos daquilo que conhecemos.

 

 

 

A Penha é uma montanha

Que vigia a cidade

Carregada de histórias

E momentos de felicidade

 

Altiva e majestosa

Espaço cheio de encantos

Monumentos e natureza

No ar os sons são tantos

 

São peregrinos a rezar

Pássaros a cantar

Os sinos a tocar

A alegria no ar

 

Montanha mágica

Local de encantamento

Ali nascem namoros

Que dão em casamento

 

De ti gostamos, ó Penha

Dás beleza a Guimarães

A pedimos protecção

Para nós, os pais e as mães

 

 

publicado por Paula às 22:59


A experiência de hoje teve a ver com cores.

Usámos um círculo em papel, dividido em sete partes.

 

 

 

Pintámos cada parte com as cores do arco íris.

 

 

 

Recortámos o círculo.

 

 

 

 

 

 

Colocámos um lápis no centro e fizemos girar o círculo como se fosse um pião.


 

 

 

 

CONCLUSÃO

 

 

Quanto mais depressa rodarmos o disco, mais a sua cor se aproxima do branco.

O nosso cérebro deixa de distinguir as cores isoladamente. Por isso, o que vemos é a soma das sete cores. Se juntarmos as cores do arco-íris, formamos o branco.

publicado por Paula às 22:20


Aqui está a poesia da Sofia, a última sobre animais.

 

 

 

Aquáticos, aéreos ou terrestres podem ser

No mar, no ar ou na terra vivem

Insectos, peixes, com asas ou com quatro patas

Mamíferos, ovíparos e vivíparos eles são

Amigos, fiéis e brincalhões

Importantes para a nossa vida

São todos os animais.

 

 

publicado por Paula às 22:03


A Beatriz contou-nos a Lenda de Coimbra. Uma bonita história de amor.

Havia em tempos uma princesa por quem todos os cavaleiros se apaixonavam.

No entanto, ela gostava de um simples cavaleiro. O pai, o rei, não consentia o namoro porque o seu cavaleiro não era um herói.

Por aquela altura apareceu na região uma perigosa serpente chamada Coluber.

A princesa sugeriu ao pai que aquele que a conseguisse matar seria o seu noivo.

Muitos cavaleiros tentaram, mas nenhum conseguiu. O amado da princesa foi então até à toca da serpente.

Fez uma grande fogueira e o fumo obrigou a serpente a sair.

Os dois travaram então uma dura batalha. A serpente não havia meio de morrer e o cavaleiro estava a perder as forças.

Numa última tentativa, pegou na sua espada e com toda a força espetou- a na serpente que acabou por morrer.

O rei cumpriu o prometido e o valente cavaleiro casou com a princesa e viveram felizes.

Daqui vem o nome de Coimbra- Coluber Briga, que depois evoluiu para Coimbra.

 

 

 

 

publicado por Paula às 21:50

Quinta-feira, 24 de Fevereiro de 2011

A partir da obra "Penha, encanto e poesia",  de Ana Vieira Brito, estivemos hoje a conhecer algumas das histórias ligadas àquele espaço.

Aqui fica a síntese.

 

 

 

 

Há várias histórias ligadas à Montanha da Penha.

A mais antiga é de Santa Catarina. Conta que havia uma pastora chamada Catarina que, de dia, cuidava do rebanho e, á noite, vigiava Vimaranes, porque da montanha onde vivia conseguia ver tudo à volta.

Uma noite, ouviu grande barulho e percebeu que era uma invasão. Então, põe uma tocha em cada chifre das suas cabras e fê-las descer a montanha. Os mouros, assustados, fugiram.

A partir daí, passaram a considerar Catarina uma santa.

Em 1702 conta-se que um eremita terá gostado daquela montanha e resolveu viver lá e rezar à Senhora que ele batizou de Senhora da Penha, por ali haver muitos penedos.

Um caçador que ali passava, assustou-se pensando ser um ladrão. Outros caçadores vieram investigar e perceberam que era uma boa pessoa.

Já no século XX, começaram a fazer-se peregrinações para rezar a Nossa Senhora da Penha. Iam novos e velhos, ricos e pobres.

Em 1947 constrói-se a Igreja de Nossa Senhora do Carmo da Penha, onde as pessoas continuam a rezar e fazer peregrinação em Setembro.

 

 

publicado por Paula às 16:20


O Pedro foi o autor da poesia de hoje ainda sobre animais.

 

 

 

 

Há animais nossos amigos

Outros nem tanto assim

Aquilo que eu quero

É que alguns gostem de mim

 

Uns do mar, outros da terra

Outros do ar a voar

Uns ao pé de nós

Outros dentro do mar

 

Os domésticos são de casa

Que nos fazem companhia

Gostamos muito deles

Dão- nos muita alegria

 

 

 

Amigos

Narigudos

Inteligentes

Marítimos

Aéreos

Imprevisíveis

Selvagens

 

 

publicado por Paula às 16:17


Moranguitos
visitas
counter
Visitantes

Contador Grátis
pesquisar
 
Últ. comentários
aleleuia
Quero saber a introdução da experiência
Gostaria de pedir autorização para usar a vossa im...
podiam colocar mais algumas assim não dá para tira...
gosto de ler historias para meus alunos mas sempre...
lol
QUE LINDO
Como fizeram o livro????Já está há venda em públic...
Olá Moraguinhos, adorei os vossos porvérvios, me a...
muito obrigada nao copiei todos mas ainda coipiei ...
mais comentados
10 comentários
8 comentários
8 comentários
7 comentários
6 comentários
6 comentários
6 comentários
6 comentários
subscrever feeds