Blogue da turma B, do quarto ano, da Escola Básica de Santa Luzia, em Guimarães
Segunda-feira, 30 de Janeiro de 2012

A experiência de hoje mostra-nos que a água no estado sólido ocupa mais espaço, mas é menos densa que a água no estado líquido.

Usámos dois recipientes com água,  corante vermelho, um pau de espetada e um pedaço de papel.

  
Fizemos um mastro com o pau de espetada e o pedaço de papel e, com plasticina, fixamo-lo no centro de um recipiente.
 
Colocámos água até meio, à qual misturámos corante ante de colocar no congelador.
 
Algumas horas depois, a água solidificou, aumentando o volume.
Retirámos o cubo de gelo do recipiente e colocámos num outro recipiente com água.
O barco flutuou.
 
Conclusão

Quando tiraste o teu barco do congelador pudeste verificar que aumentou o volume, isto é, o gelo passou a ocupar mais espaço que a água. Embora isto aconteça a quantidade de água é a mesma que de gelo, o que faz com que o gelo seja menos denso que a água. Como o gelo é menos denso que a água faz com que fique a flutuar e o teu barco não vai ao fundo.
À medida que o gelo do barco vai derretendo o corante vai-se dissolvendo na água fazendo uns efeitos engraçados. 

publicado por Paula às 16:51

Sexta-feira, 27 de Janeiro de 2012

Esta é a história da Gabriela.

 

 

 

Era uma vez um menino chamado João.

Na sala de aula ele era o mais inteligente a matemática.

Um dia a professora disse:

- Hoje, vamos aprender o que são sólidos poliedros e não poliedros.

A professora começou a explicar o que eram sólidos poliedros e não poliedros.

Ela disse:

-Sólidos poliedros são sólidos geométricos com as faces todas planas.

-Sólidos não poliedros são sólidos geométricos que têm uma face curva.

No dia seguinte a professora perguntou ao João o que eram sólidos poliedros e não poliedros e ele respondeu:

-Sólidos poliedros são sólidos geométricos que têm as faces todas planas e sólidos não poliedros têm uma face curva.

A seguir a professora disse para o João:

-João, estás de parabéns.       

 

publicado por Paula às 23:36

Quinta-feira, 26 de Janeiro de 2012

Este é o tema da nossa área-projeto durante este mês de janeiro.

D. João I, o mestre de Avis, subiu ao trono em 1385, depois do problema de sucessão de D. Fernando, seu meio irmão.

A vida deste rei está intimamente ligada a Guimarães, sobretudo a Nossa Senhora da Oliveira, de quem era devoto e a quem pediu proteção para a Batalha de Aljubarrota.

Essa proteção chegou e Portugal venceu os castelhanos naquela importante Batalha.

Para agradecer, D. João fez várias ofertas à Senhora da Oliveira, algumas das quais estão ainda no Museu Alberto Sampaio.

Foi para falar deste tema que tivemos hoje ne escola a Dra Rosa Saavedra, responsável pelo serviço educativo do Museu e autora do Livro D. João I em Guimarães.

Contou-nos várias histórias ligadas a este rei, nomeadamente como ele conseguiu conquistar as então Vilas de Baixo e de Cima, em Guimarães e reunir o apoio dos vimaranenses na sua coroação como rei.

As histórias da história são, de facto, muito interessantes e, para a semana, ficaremos a conhecer outros pormenores.

 

  

 

A vila de Guimarães era assim até D. João I ter decidido unir a Vila de Cima, formada em torno do castelo e a Vila de Baixo, em torno da Colegiada.

 

   

Conhecer a nossa história é interessante.

Aqui fica um site para conhecer os nossos reis e seus cognomes.

 

Site Junior, Bairro - Portugal

 

 

publicado por Paula às 23:08

Quarta-feira, 25 de Janeiro de 2012

A propósito de uma atividade proposta pela professora de Expressão Plástica de elaborar um mocho com um rolo de papel higiénico, estivemos a trabalhar esta simpática ave.

Fizemos um trabalho inicial de pesquisa, que depois discutimos em conjunto, selecionando o que era importante e rejeitando o superfluo.

A partir daqui, em trabalho de brupo, estivemos a fazer diferentes tipos de texto sobre o mocho.

 

 

 

Primeiro, o texto informativo feito pela Maria João, a Gabriela, a Maria e o Pedro.

 

O mocho é uma ave que vive na Europa, Ásia e no Norte de África. Invade os ninhos das outras aves, normalmente em pinhais e florestas.

É uma ave que em média mede entre 40 e 45 cm e pesa de 250 a 350 gramas.

As suas características físicas são: tem olhos grandes e amarelos, tem penugem castanha com manchas brancas, tem bico de falcão e exteriormente não há diferença entre sexos.

São cegos à nascença, têm uma audição muito apurada, um voo silencioso e o mocho-fêmea tem entre 3 a 5 crias, com um período de incubação de 28 dias.

Os mochos são animais noturnos, oportunistas, que comem de tudo, por isso são omnívoros.

Não migram nem hibernam.

Caçam usando a visão e são o símbolo da sabedoria.

São animais solitários e tímidos.

Algumas curiosidades sobre os mochos dizem-nos que, apesar de ser o símbolo da sabedoria, também são sinal de azar. Os nossos antepassados usavam-os como vigilantes das casas.

este magnífico animal está em vias de extinção devido a acidentes rodoviários.

 

 

A Mafalda, a Carolina, a Fátima, o Ruben e a Carolina Nunes ficaram com a tarefa da banda desenhada.

 

Eis a poesia da Beatriz, do Leandro, da Jéssica e da laura.

 

O mocho pequeno

Está para nascer

Com a mãe e o pai a seu lado

Ele vai crescer

 

Estava ele ansioso

Para poder caçar

Mas, primeiro

Tinha que aprender a voar

 

Ele foi para a escola

Para aprender

Saber como caçar

Saber como ler

 

Uma noite

Ao acordar

Viu um menino

Perdido, a chorar

 

De tão amigo que era

Decidiu perguntar

O que se passara

E se podia ajudar

 

O menino sorriu

De tão feliz que estava

Porque viu um mocho

Que com ele falava

 

O mocho ficou feliz

Por ter um amigo

Que andasse

Sempre consigo. 

 

 

                                                                                                                                                                                                 

 

Por fim, o texto narrativo da Sofia, do Bruno, da Joana e do Mário.

 

Era uma vez uma menina chamada Marta. A Marta gostava muito de aves, especialmente de mochos.

Um dia, estava a passear de carro com os pais e atropelaram um mocho.

O pai parou o carro, pegou nele e, de seguida, foram  para casa.

Quando chegaram,  a Marta tentou perceber se ele estava morto e ficou preocupada.

Ao fim de um mês, surpreendeu-se ao ver cinco crias em sua casa.

Logo soube que o mocho era uma fêmea.

A marta cuidou das crias como tinha cuidado da mãe delas.

No dia seguinte, chegou da escola e viu que a mãe das crias não estava em sua casa. Ficou preocupada.

De repente, surge no céu a mãe com comida e surgiu-lhe uma dúvida:

- Quem será o pai das crias?

Marta continuou com essa dúvida durante muitos dias.

Deepois, a mãe das crias foi à floresta buscar comida e consigo trouxe outro mocho, que era o pai das crias.

Uma semana depois, Marta deixou-os ir para o seu habitat natural e prometeu-lhes ir visitá-los muitas vezes. 

publicado por Paula às 19:33


Aqui ficam mais alguns sites onde os Moranguitos podem aprender de uma forma divertida.

 

Matemática

 

Ângulos - Sítio da Matemática

 

 

Classifica os ângulos

 

 

Sólidos Geométricos - Sítio da Matemática

 

 

Língua Portuguesa

 

DETERMINANTES

 

 

 

 

A Classe dos Determinantes

 

 

Determinantes e Pronomes Possessivos

 

 

 

Estudo do Meio

 

Jogo da Forca - As Profissões


publicado por Paula às 19:27

Terça-feira, 24 de Janeiro de 2012

No âmbito do Plano Nacional de Leitura está a decorrer o concurso "Faça lá um poema" no qual resolvemos participar.

Cada aluno escreveu um poema, subordinado ao tema que quisesse e este é o resultado.

Esperamos agora que escolham o melhor, para enviar a concurso.

 

 

Votem, até 31 de Janeiro.

<a href="http://polldaddy.com/poll/5873972/">Qual o melhor poema?</a>
publicado por Paula às 22:44

Sexta-feira, 20 de Janeiro de 2012

 

Embora não pareça, estamos em pleno inverno.

Como sempre, decorámos o painel da sala a preceito, usando várias técnicas.

Começámos por fazer bonecos de neve esquiadores com pinhas e bolas de pingue-pongue. 

 

 
Este é o nosso exército de esquiadores

Colocámos estes bonecos no nosso galho, junto com os mochos elaborados em Expressão Plástica.
 
No painel, elaborámos uma paisagem de inverno, pintando com esponja, usando a técnica do papel higiénico e, no centro, colocámos um colorido boneco de neve.
  
Mas, é claro que não poderíamos colocar aqui a imagem de inverno sem a acompanhar de um pequeno acróstico sobre o tema.
É inverno
Imensa chuva no ar
Neve sem parar
Vento a soprar
E trovões a rebentar
Relâmpagos a brilhar
Na minha casa quentinha vou ficar
O fim do inverno vou esperar.
publicado por Paula às 23:16


Eis a história do Leandro.

 

 

 

Era uma vez um quadrado que era muito convencido. Gabava-se que sem ele não haveria cubos, pirâmides e muito mais. Mas um dia um triângulo cansado de tanto o ouvir foi falar com ele.

  - Por que estás sempre com esse ar superior? – perguntou o triângulo.

  - Porque sou indispensável. – explicou o quadrado. -Não sei se já reparaste mas, sem mim, no Egipto não haveria pirâmides! És cego?

  - Não percebes que, nós os triângulos, somos as faces laterais das pirâmides?

  - Sim, mas eu também estou na pirâmide, sou a base, sem mim não haveria pirâmide.

  Entretanto a conversa prolongou-se por muito tempo com argumentos de um lado e do outro.

  Passados alguns dias o quadrado ficou doente, uma forte constipação fê-lo ficar com os seus quatro ângulos retos infecionados. Coitado estava feito num trapézio! Os serviços do quadrado foram solicitados por alunos de uma escola e não se sabia como substituir o quadrado doente. Foi então organizada uma reunião urgente entre polígonos.

  - Já sei – exclamou um dos triângulos. – Nós, os triângulos, se nos juntarmos dois a dois formamos um quadrado.

  - Não se esqueçam que só os triângulos retângulos é que podem substituir o quadrado. – explicou um hexágono irregular.

  Depois de muito tentarem só os triângulos retângulos é que podiam transformar-se num quadrado, e substituíram o quadrado na perfeição.

  Sabendo disto, o quadrado foi falar com os triângulos substitutos, já com uma atitude diferente.

  - Vais criticar-nos, é? Achas que não estivemos à altura? – replicaram os triângulos.

  - N… não, eu queria agradecer-vos. Eu fui muito injusto em relação aos triângulos e outros polígonos.

  O quadrado foi sincero no seu pedido de desculpas e a verdade é que agora os quadrados e os triângulos parecem mais unidos. Nunca mais ninguém teve queixa do quadrado.

publicado por Paula às 23:13

Quinta-feira, 19 de Janeiro de 2012

As fotografias que tiramos a alguns espaços do concelho de Guimarães estão expostas até ao fim do mês no Arquivo Alfredo Pimenta.

Hoje fomos ver a exposição e renovamos o convite para que passem por lá e vejam a riqueza do concelho em termos de património arquitetónico e arqueológico e a nossa aptidão para a fotografia.

 

 

 

 

publicado por Paula às 22:52

Quarta-feira, 18 de Janeiro de 2012

Em Estudo do Meio estamos a trabalhar as atividades económicas.

Todas têm a sua importância.

Por isso, e porque precisamos de todas as profissões, imaginámos que já tinhamos uma e descrevemos um dia na nossa vida.

 

 

publicado por Paula às 22:29


Moranguitos
visitas
counter
Visitantes

Contador Grátis
pesquisar
 
Últ. comentários
aleleuia
Quero saber a introdução da experiência
Gostaria de pedir autorização para usar a vossa im...
podiam colocar mais algumas assim não dá para tira...
gosto de ler historias para meus alunos mas sempre...
lol
QUE LINDO
Como fizeram o livro????Já está há venda em públic...
Olá Moraguinhos, adorei os vossos porvérvios, me a...
muito obrigada nao copiei todos mas ainda coipiei ...
mais comentados
10 comentários
8 comentários
8 comentários
7 comentários
6 comentários
6 comentários
6 comentários
6 comentários
subscrever feeds