Blogue da turma B, do quarto ano, da Escola Básica de Santa Luzia, em Guimarães
Quinta-feira, 04 de Novembro de 2010

A Beatriz trouxe a história de hoje, retirada do livro número cem de Luísa Ducla Soares.

Fala do S. Martinho. Na escola, a professora explica que nesta altura costuma acontecer o Verão de S. Martinho e pede aos seus alunos que digam provérbios ligados ao tema.

Mas, os provérbios que falam da matança do porco e de vinho não agradam a alguns meninos, para quem matar o porco é uma maldade e beber vinho também.

Por isso, é sugerido um novo: “Pelo S. Martinho compra castanhas pelo caminh”o.

Depois da recolha, é tempo de magusto. O Ricardo come quase metade das castanhas. Come as suas, as de uma colega doente, de outra que está dieta, de um que faltou e ainda as da professora que não gosta de castanhas.

No fim das aulas, é a mãe que o vai buscar. Pelo caminho, passam pelo homem das castanhas e ele pede à mãe para lhe dar algumas. Come mais uma dúzia.

À noite a avó faz lombo assado com castanhas e assa mais castanhas. O Ricardo continua a comer e também não diz que não ao bolo de castanhas e natas que o pai trouxe.

No fim do jantar vai para o quarto e sente-se inchado. Pudera, comeu tantas castanhas!... Cria então um novo provérbio: “Pelo S. Martinho, dá castanhas ao teu vizinho”.

 

publicado por Paula às 22:35

Quarta-feira, 03 de Novembro de 2010

Um dos últimos textos trabalhados em Língua Portuguesa, falava de uma cidade dominada por carros. Eram tantos e faziam tanto barulho que as pessoas não conseguiam dormir e começaram a perder a memória.

Esqueceram de tudo, até dos amigos.

Até que aparece um menino com uma flauta mágica que começou a tocar, fazendo com que os carros o seguissem até uma sucata.

A cidade regressa então à normalidade.

Como proposta de trabalho, transformámos este texto narrativo numa banda desenhada.

 

 

publicado por Paula às 23:20


Aqui fica o texto que a Maria João e família escreveram sobre o Magusto.

 

 

 

Magusto vamos festejar

Alegres e divertidos

Gostamos de ajudar

Uma vez por ano

S. Martinho, castanhas e vinho

Todos gostamos de saborear

O senhor João vai começar.

publicado por Paula às 23:15


Porque estamos a trabalhar o copro humano, deixo aqui uma outra sugestão de leitura, proposta pelo Mário.

Chama-se "Enciclopédia Ilustrada do Corpo Humano" e tem tudo sobre o nosso corpo. Uma sugestão para quem quer saber mais.

publicado por Paula às 23:12


A Fátima Ben contou-nos hoje a história do dia.

"O lobo e os sete cabritinhos" foi a escolhida.

Conta que uma mãe cabra saiu para fazer compras, deixando os seus sete filhotes em casa com a recomendação de não abrir a porta ao lobo.

O lobo matreiro, que estava a vigiar, foi logo bater à porta dizendo que era a mãe, mas os cabritos não abriram por estranharem a voz. A seguir, regressa, disfarçando a voz.

No entanto, os cabritinhos vêem que os pés não são brancos como os da mãe e não abrem a porta.

Cheio de fome, o lobo vai à mercearia à procura de comida. Com medo o dono foge e o lobo decide enfarinhar-se com um saco de farinha que viu na loja.

Regressa então e bate de novo à porta.

Desta vez os cabritinhas não desconfiaram da mentira e abriram a porta.

O lobo apanha seis cabritos mas, o mais novo, sem ninguém ver, esconde-se no pote.

Quando a mãe regressa vê tudo destruído e percebe o que aconteceu. O seu filhote aparece então contando tudo.

A mãe cabra corre atrás do lobo que, de barriga cheia, estava a dormir a sesta.

Sem ele dar por nada, abre-lhe a barriga, tira os cabritinhos, coloca lá pedras e coze.

O lobo nem deu por nada.

A cabra regressa, então, a casa com os seus filhos com quem vive feliz para sempre.

 

publicado por Paula às 23:00

Terça-feira, 02 de Novembro de 2010

Coube à Maria Manuel construir o primeiro texto sobre S.Martinho e magusto.

 

 

 

 

Sol a brilhar

 

Magusto a festejar

Asso as castanhas com

Risos de felicidade

Todos reunidos

Interessados em colaborar

Nada falta à mesa

Há vinho novo e rojões

O grupo está reunido."

 

 

O magusto festejo

Com muita alegria

Asso as castanhas

É dia de fantasia

 

As crianças a saltar

De um lado para o outro a gritar

Que delícia que são

A alegria anda no ar.

 

 

 

publicado por Paula às 23:06


A história de hoje foi contada pela Maria Sofia.

Chama-se "A grande história dos meus sete anos" e fala de Sétima, uma feiticeira para quem o número sete é muito importante e que gostava de pregar partidas.

Um dia, sai de casa e encontra umas botas de ogre com sete buracos. Calça as botas e passa a dar passos gigantes.

Só que a coisa não corre bem e num desses passos acaba por destuir o tecto de vidro de um museu e toda a colecção de porcelanas expostas.

Passa depois na praia do Sete, vai a uma escola e anima uma festa com vários instrumentos. A seguir, vai a Paris onde substituiu o cozinheiro do presidente que se magoou. Faz um jantar para sete presidentes que corre bem até contar os ingredientes que usou: sapos.

Sétima tem, então, que regressar. Pelo caminho perde uma bota que é encontrada por um mágico.

O mágico e Sétima apaixonam-se, casam, têm sete filhos, mas vivem juntos muitos mais que sete anos.

 

publicado por Paula às 22:58


Já temos desafio matemático para o mês de Novembro.

O objectivo é contar todos os triângulos da figura.

 

publicado por Paula às 16:35


Moranguitos
pesquisar
 
Últ. comentários
Amei a história. Eu estava justamente procurando u...
aleleuia
Quero saber a introdução da experiência
Gostaria de pedir autorização para usar a vossa im...
podiam colocar mais algumas assim não dá para tira...
gosto de ler historias para meus alunos mas sempre...
lol
QUE LINDO
Como fizeram o livro????Já está há venda em públic...
Olá Moraguinhos, adorei os vossos porvérvios, me a...
mais comentados
10 comentários
8 comentários
8 comentários
7 comentários
6 comentários
6 comentários
6 comentários
6 comentários
subscrever feeds