Blogue da turma B, do quarto ano, da Escola Básica de Santa Luzia, em Guimarães
Quarta-feira, 15 de Fevereiro de 2012

Uma vez que se está a aproximar o Carnaval e porque a quarta-feira é dia de oficina de escrita, hoje decidimos escrever sobre palhaços.

Um palhaço é alguém que nos faz rir e nos põe bem dispostos, mas nem sempre eles próprios têm razõe para sorrir.

Por isso, aqui ficam as histórias de quatro palhaços: o Triste, o Alegre, o Pobre e o Rico.

 

publicado por Paula às 20:39


A sala dos Moranguitos recebeu hoje a visita de alguns alunos do pré-escolar do Jardim de S. Sebastião.

Vieram conhecer a nossa escola e trabalharam um bocadinho connosco. E, como estamos a trabalhar geometria, decidimos fazê-lo também com os mais pequenitos.

Falamos das figuras geométricas, ouviram uma história, cantamos uma canção e brincaram às construções usando quadrados, triângulos, retângulos e círculos.

Este foi o resultado.

 

publicado por Paula às 19:11

Terça-feira, 14 de Fevereiro de 2012

Hoje comemora-se mundialmente o dia de S. Valentim, um bispo que sempre apoiou o amor e por isso foi martirizado.

Como a amizade pode ser também um ato de amor, hoje mostramos o quanto gostamos uns dos outros.

Eis as nossas mensagens de amizade.

 

publicado por Paula às 20:20

Segunda-feira, 13 de Fevereiro de 2012

Tal como no ano passado, decidimos aceder ao convite do Alfa para o mascararmos de Carnaval.

Este ano, entramos no espírito da Capita Europeia da Cultura e fizemos um disfarce com o seu logótipo.

Ficou assim:

 

 
Agora, esperamos a vossa votação em:
publicado por Paula às 22:07


A experiência de hoje serviu para mostrar que, às vezes um mais um não são dois.

Usámos dois copos pequenos, dois copos grandes, água e açúcar.

 

 
No copo maior colocamos dois copos de água pequenos e fizemos a marcação.
 
No outro copo grande, pusemos um copo pequeno de água e a mesma medida de açúcar.

 

Apesar de em cada um dos copos grandes estar o conteúdo de dois copos pequenos, o volume não é o mesmo no copo que só tem água e no copo que tem água e açúcar.

 

 

Conclusão

Na primeira experiência juntámos duas medidas de água, certo? E na segunda experiência juntámos uma medida de açúcar e outra de água, certo? Ora 1+1=2? Então como é que a água com o açúcar não chega ao nível 2? 

A água e o açúcar, bem como toda a matéria, são formados por umas coisinhas muito pequenas a que chamamos "partículas". Entre as partículas existem espaços livres. As partículas de açúcar ocupam os espaços livres entre as partículas de água e por isso duas medidas de água ocupam mais espaço do que uma de água mais uma de açúcar. 
Afinal às vezes 1+1 não é igual a 2!

publicado por Paula às 21:58

Sexta-feira, 10 de Fevereiro de 2012

Na semana passada terminámos as Histórias com Matemática e prometemos novidades esta semana.

Pois bem, a partir de hoje teremos as Histórias dos Meus Avós. Teremos histórias antigas, casos verídicos, do tempo dos avós.

O pontapé de saída é dado pela Carolina Guise que nos traz uma história real do seu avô.

 

A profissão do meu avô paterno era taxista.

Certo dia, recebeu uma chamada para ir buscar um casal a França.

Como nevava muito e as estradas eram muito antigas, o meu avô demorou muitos dias a chegar a França.

Quando lá chegou, os clientes já tinham vindo para Portugal de comboio, pensando que ele já não os ia buscar.

Regressou então a Portugal, sozinho. Passou muitas dificuldades durante a viagem, devido ao excesso de neve

Ao longo da viagem, até prometeu uma missa a Nossa Senhora da Conceição, se conseguisse chegar bem a casa.

Quando chegou, o meu pai não o reconheceu devido à enorme barba que lhe tinha crescido.

publicado por Paula às 22:33

Quinta-feira, 09 de Fevereiro de 2012

Capa do livro

Este título diz-vos concerteza alguma coisa...bem docinha, por sinal.

O abade de Priscos foi o criador do afamado pudim com o mesmo nome e serviu de inspiração a Inácio Pignatelli para escrever o livro "Era uma vez o Abade de Priscos".

Hoje, estivemos com o escritor no Museu Alberto Sampaio. Ouvimos a deliciosa história da boca do próprio autor.

 

Era uma vez o Abade de Priscos” é uma bela história sobre um abade cozinheiro que se entretinha a inventar e a experimentar diferentes receitas para servir nos banquetes oferecidos a senhores, reis e a rainhas.

Era muito famoso naquela época e todos ambicionavam ter as suas receitas. Muitos as tentaram copiar, mas sempre o abade arranjou forma de castigar os "ladrões".

A sua receita mais conhecida é o pudim do Abade de Priscos, feito propositadamente para um banquete servido ao rei D. Luis I. 
Ainda hoje esta é uma das principais sobremesas da região minhota. 

Uma delícia divina, excelente para terminar uma refeição.

 

publicado por Paula às 22:48

Quarta-feira, 08 de Fevereiro de 2012

A vaga de frio polar que nos assola inspirou-nos e aguçou-nos a curiosidade para saber mais sobre os animais que vivem em climas gelados.

Por isso, pesquisámos e escrevemos histórias sobre o urso polar, o pinguim, a foca e o lobo ártico.

 

publicado por Paula às 23:57


A propósito da classificação dos triângulos quanto aos lados e aos ângulos, aqui fica um jogo interessante.

 

 

http://www.uff.br/cdme/jct/jct-html/jct-br.html´

 

Depois da página abrir den clicar em executar Pulg-in.

Divirtam-se.

publicado por Paula às 23:00

Terça-feira, 07 de Fevereiro de 2012

Depois de termos trabalhado as atividades económicas em Estudo do Meio, estamos agora a analisar o impacto ambiental que essas atividades têm.

Para o fazermos de uma forma mais divertida, mas ao mesmo tempo mais motivante, realizamos hoje uma assembleia em que, de um lado, estavam os defensores do desenvolvimento económico e do outro os que defendem, acima de tudo o ambiente.

Expuseram-se argumentos, discutiram-se posições, cada um defendendo sempre a sua "dama".

Depois do debate, as conclusões...sendo que, a mais importante é que é possível um desenvolvimento sustentável que proteja o ambiente e, consequentemente, salvaguarde o nosso futuro.

Aqui ficam algumas das conclusões.

 

  

 

Depois do debate concluímos que pode haver desenvolvimento sem destruição ambiental.

Precisamos da economia, mas também do ambiente, porque senão cuidarmos dele, a natureza vira-se contra nós.

Assim devemos:

- construir com espaços verdes;

- promover energias renováveis (solar, marés, éolica, vulcões...);

- colocar filtros nas chaminés;

- tratar os resíduos industriais;

- evitar a destruição da floresta e o abate dos animais;

- melhorar a recolha e o tratamento de lixos;

- reciclar, reduzir, respeitar, reutilizar, responsabilizar;

- racionalizar o consumo de água e energia;

- usar redutores de ruídos;

- manter as florestas limpas;

- ter cuidado com o uso do fogo;

- proteger os animais em vias de extinção;

Só assim conseguiremos proteger o nosso mundo e a  nós próprios.

publicado por Paula às 19:23


Moranguitos
pesquisar
 
Últ. comentários
Amei a história. Eu estava justamente procurando u...
aleleuia
Quero saber a introdução da experiência
Gostaria de pedir autorização para usar a vossa im...
podiam colocar mais algumas assim não dá para tira...
gosto de ler historias para meus alunos mas sempre...
lol
QUE LINDO
Como fizeram o livro????Já está há venda em públic...
Olá Moraguinhos, adorei os vossos porvérvios, me a...
mais comentados
10 comentários
8 comentários
8 comentários
7 comentários
6 comentários
6 comentários
6 comentários
6 comentários
subscrever feeds